terça-feira, 30 de outubro de 2018

Dia de los muertos


Dia dos Mortos é uma celebração tradicional mexicana que homenageia os mortos, realizada principalmente nos dias 1 e 2 de novembro , coincidindo com as celebrações Católicas do Dia de Finados e de Todos os Santos .










Dia de pão por Deus




Dia de Pão por Deus é a 1 de novembro.
Nesse dia as crianças saem de manhã bem cedo às ruas em pequenos grupos e pedem “Pão por Deus” de porta em porta, educadamente, levando uma saquinha para bolos, bolachas, frutas, chocolates ou frutos secos.
O dia de Pão por Deus era um dia onde antigamente se repartia pão cozido pelos pobres. Quem pedia à porta era encarado como a alma de alguém morto a errar pelo mundo e a pedir esmola. O Pão de Deus era, assim, uma oferta às almas que partiram.

Os pedidos feitos pelas crianças eram acompanhados pelas seguintes frases:
“Pão por Deus,
Fiel de Deus,
Bolinho no saco,
Andai com Deus.”

“Ó tia, dá Pão-por-Deus?
Se o não tem Dê-lho Deus!”

"Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós
Para dar aos finados
Qu'estão mortos, enterrados
À porta daquela cruz
Truz! Truz! Truz!
A senhora que está lá dentro
Assentada num banquinho
Faz favor de s'alevantar
P´ra vir dar um tostãozinho."


Quando se recebia algo:

"Esta casa cheira a broa
Aqui mora gente boa.
Esta casa cheira a vinho
Aqui mora algum santinho."


Quando não se recebia nada:

"Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto."

Adaptado de https://www.calendarr.com/portugal/
https://portuguesemlinha.blogs.sapo.pt/a-tradicao-do-pao-por-deus-em-portugal-19490

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Dia das bruxas


Os meninos do 1º ciclo tiveram bruxas, teias e morcegos.
Os do 2º ciclo andaram debaixo de mesas à procura de ratos e gatos.
Os do 3º entraram na câmara escura, onde ouviram um conto de terror de Allan Poe, dito pela professora Conceição Limas e dramatizado pelos alunos do curso profissional de juventude.
Obrigada a todos!


































Encontro com o escritor Filipe Monteiro

A Biblioteca põe os nossos alunos em contacto com escritores escolhidos pelo Plano Nacional de Leitura.
O escritor Filipe Monteiro explicou conceitos de química através da leitura e da magia.
Obrigada!






SINOPSE
"Mestre Carbono, o Cientista" conta-nos a história de três cientistas que, em laboratório, procuram descobrir um modo que permita controlar e reverter a atual situação do aquecimento global, também causado pela excessiva libertação de CO2.

No entanto, é quando os humanos regressam a casa que se assiste a uma enorme azáfama, com vários átomos e moléculas a saltar dos respetivos frascos de reagentes. Liderados por um velho átomo - o Mestre Carbono -, procuram ajudar os humanos naquelas experiências de grande importância para a salvação da Natureza.

Sob a batuta do velho Mestre, aqueles átomos e moléculas perseguem o sonho de conseguir sintetizar laboratorialmente a bem conhecida molécula da Clorofila A, o primeiro passo para ajudar a mãe Natureza no processo de conversão do dióxido de carbono no favorável oxigénio (fotossíntese).
https://www.wook.pt/livro/mestre-carbono-o-cientista-filipe-l-s-monteiro/16269391

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Mês da alimentação: dramatização do conto "Sopa de pedra"

Quem não conhece a lenda da sopa de pedra?









Um frade andava no peditórioChegou à porta de um lavradornão lhe quiseram  dar esmola. O frade estava a cair com fome, disse:
Vou ver se faço um caldinho de pedra!
pegou numa pedra do chãosacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para elapara ver se era boa para fazer um caldo. A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança.
Perguntou o frade :
Então nunca comeram caldo de pedra lhes digo que é uma coisa boa.
Responderam-lhe :
Sempre queremos ver isso!
Foi o que o frade quis ouvirDepois de ter lavado a pedrapediu :
- Se me emprestassem  um pucarinho.
Deram-lhe uma panela de barroEle encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro.
- Agora, se me deixassem estar a panelinha  ao  das brasas.
DeixaramAssim que a panela começou a chiartornou ele :
- Com um bocadinho de unto, é que o caldo ficava um primor!
Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveuferveu, e a gente da casa pasmada pelo que via. Dizia o fradeprovando o caldo :
Está um bocadinho insossoBem precisava de uma pedrinha de sal.
Também lhe deram o salTemperouprovou e afirmou :
- Agora é que, com uns olhinhos de couve o caldo ficava que até os anjos o comeriam!
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras.
O frade limpou-as e ripou-as com os dedos, deitando as folhas na panela.
Quando os olhos já estavam aferventados, disse o frade:
- Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça.
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele botou-o à panela e, enquanto se cozia, tirou do alforje pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era um regalo. Comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou:
- Ó senhor frade, então a pedra?
Respondeu o frade:
- A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez.


Dia da Biblioteca Escolar

O Dia da Biblioteca Escolar é celebrado na quarta segunda feira do mês de outubro.
Este dia tem como objetivo destacar a importância das bibliotecas escolares na educação, assim como promover o gosto pela leitura.

A Biblioteca agradece aos alunos que participaram.











quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Saúde oral e Biblioteca Escolar

Hoje os meninos da Quinta do Simão ouviram duas histórias sobre higiene oral.
Depois aprenderam mais sobre os dentes e a sua higiene.
No final, a Dª Soledade, técnica higienista, ofereceu a todos os meninos escova, pasta e mesmo uma caixinha para guardar os dentinhos de leite.
Obrigada, Dª Soledade!










Semana da alimentação

O Dia Mundial da Alimentação celebra-se anualmente a 16 de outubro.
A Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica de Esgueira e a Biblioteca escolar dinamizaram atividades para os mais pequenos. 
Por sua vez, estes ofereceram desenhos e músicas sobre a roda dos alimentos. Obrigada, meninos!