quinta-feira, 24 de março de 2016

Declamação de poesia com acompanhamento musical ao vivo

No dia dezasseis de março, as turmas do 5ºA e 6ºE foram, da parte da manhã, até ao Auditório do Edifício Aires Barbosa com o objetivo de comemorar o Dia Mundial da Poesia que se celebrou no dia 21 de março, tendo dinamizado uma "Declamação de poesia com acompanhamento musical ao vivo". A acompanhá-los estiveram as professoras Brígida Varanda, Celeste Cruz e Fátima Teixeira.
Os alunos declamaram poemas de autores, tais como, Luísa Ducla Soares, Manuel Bandeira, Almeida Garrett, Luís de Camões, João Pedro Mésseder, Miguel Torga, Sebastião da Gama, Teixeira de Pascoais, à mistura com alguns poemas da sua autoria (a título de exemplo, divulgam-se alguns poemas).
Estiveram presentes no evento pais e encarregados de educação destes alunos que também declamaram poemas de autores, nomeadamente, José Luís Peixoto, Álvaro Magalhães, Fernando Pessoa, Manuel Alegre e Florbela Espanca.
O evento contou ainda com a presença de outros elementos da comunidade educativa.
 
                                                                                                       Professora Celeste Cruz

Poemas (alunos do 5ºA e 6ºE)

A vida

A vida é assim…
…Um reboliço sem fim
Para aqui e para acolá,
Mas não se sabe no que dará.

Vivemos o presente,
Sonhamos com o futuro
Com o frio e com o quente
Trabalhamos bem no duro.

Mas a vida não é só trabalhar
É estar com a família e os amigos,
Brincar, jogar, amar
E nunca desanimar.

Ver os patos a nadar
Os pássaros a chilrear
Viver a vida feliz,
Rir muito até fartar.

Sara Santos, 6ºE


Primavera

A Primavera é muito bela
Faz-me lembrar a minha prima Vera.

No por do sol vejo quanto a Primavera é bela
Até mais bela do que a minha prima Vera.

A minha prima Vera vai comigo ver a Primavera.
E assim ficamos as duas a ver a Primavera.

A minha prima Vera vê quanto a Primavera é bela.
Até mais que ela.

Maria Beatriz Cunha, 5.º A


A pessoa

A pessoa vive e morre
Feliz ou triste
Tem de morrer
Seja boa ou má
Porque viver para sempre não dá

Devemos aproveitar a vida
Como deve ser
Ter o prazer de crescer, ler, beber, comer
E muito mais
Aproveitar a vida porque é demais!

Filipe Miranda, 6ºE


Distância

A distância não se vê
Somente se sente
Causa-nos muita tristeza
Pois alguém se encontra ausente.

O meu pai está longe
Sem ninguém para o apoiar
Queria tanto que ele estivesse cá
Para o poder agarrar.

Olhamos pela janela
E vemos os dias passar
Rezamos para que o tempo passe rápido
Para as saudades matar.

Muitas mudanças ocorreram
E mais um ano passou
Nossa mãe também sofreu
E rezou, rezou, rezou.

Mas finalmente o dia chegou
E com ele o teu regresso
Deste-nos a maior alegria
Aquela que não tem preço!

Mariana Simões, 6ºE


Os meus fins de semana

Acordo de manhã
Bem cedinho
Penso no futuro.
Tomo o pequeno-almoço
E visto-me,
Saio para respirar ar puro.

Lavo os dentes e vou brincar
Até a minha mãe chamar.

A minha mãe chama
Para fazer os trabalhos de casa.
Saio outra vez...
- O dia está uma brasa!

O almoço vou tomar,
Até a hora acabar!

A hora acaba,
Vou para o computador:
Que alegria;
Mesmo sem ninguém ao redor!
E agora,
O lanche vou provar!
Já estou cheio,
Vou mas é brincar!

Passam as horas,
A noite chega.
Vou até à cozinha,
Ninguém me pega.

- É hora de jantar!
Diz a minha mãe:
- Quem não comer agora,
Depois já não vem!

Comemos pouco,
Para não nos sentirmos mal.
Damos tantas gargalhadas,
Até parece o Carnaval!

Chega a hora de deitar,
Vamos todos dormir.
Com um beijo de "Boa Noite!",
Adormecemos a sorrir!

João Pedro Silva, 5º A


As minhas unhas contam- me uma história…

À segunda
Pinto-as de amarelo
Elas contam- me
Como o pôr-do-sol é belo!

À terça e à quinta
Pinto-as de tons de rosa
E elas dizem- me
Como a vida é maravilhosa!

À quarta
Pinto- as de azul
E elas confessam- me
Como gostavam de dizer aaauuuuuuu!

À sexta
Pinto- as de laranja
E elas confessam- me
Como queriam ser grandes como uma toranja!

Rita Sá, 6º E

Sem comentários:

Enviar um comentário